Úlcera do estômago e duodeno

Uma úlcera é uma perda de substância, uma solução de continuidade, uma ferida. A úlcera do estômago e do duodeno é, geralmente, redonda ou oval com cerca de 5 - 10 mm de diâmetro. A base é constituida por fibrina o que lhe dá uma cor esbranquiçada. A úlcera do duodeno atinge cerca de 10% da população ocidental. A do estômago é menos frequente Embora a úlcera do estômago e duodeno tenham algumas diferenças são, quase sempre, descritas em conjunto. QUAL A CAUSA DAS ÚLCERAS? Úlcera do duodeno Deve-se ao aumento de factores agressivos que levam ao aumento da secreção ácida: Helicobacter pylori - é o factor fundamental presente em mais de 95% dos casos. AINE (anti-inflamatórios não esteróides) e ácido acetil salicilico (aspirina) factores genéticos outros factores raros Úlcera do estômago Deve-se sobretudo à diminuição de factores defensivos. O Helicobacter pylori está presente em menos de 70% dos casos. Muitos casos aparecem associados aos AINE. Cerca de 10% são idiopáticas (de causa desconhecida)

COMO SE MANIFESTA A ÚLCERA?

Úlcera do duodeno A dor epiástrica aparece 1-3 horas depois das refeições e durante a noite acalmando com os alimentos ou anti-ácidos. A úlcera pode ser assintomática e diagnostica-se quando um exame por outro motivo é feito ao estômago. As complicações podem modificar as características da dor e trazer novos sintomas, assim: se aparecem vómitos é de suspeitar que a úlcera provocou uma obstrução do piloro. Se aparece hemorragia com perda de sangue no vómito ou nas fezes é de suspeitar que a úlcera sangrou. Se a dor é muito intensa talvez a úlcera tenha perfurado para a cavidade peritoneal. Úlcera do estômago A dor epigástrica pode ser desencadeada pelos alimentos ou ser agravada por eles e não desaparece totalmente com os anti-ácidos. Muitas vezes a dor acompanha-se de náuseas, vómitos, falta de apetite ou repugnância pelos alimentos. COMO SE DIAGNOSTICA A ÚLCERA? A endoscopia é a técnica de eleição. Permite a visão directa da úlcera e permite a biopsia. A úlcera do estômago é biopsada para excluir e existência de células malignas. O antro deve ser biopsado na úlcera do duodeno e do estômago para se pesquisar o Helicobacter pylori. O Rx foi utilizado no diagnóstico da úlcera durante mais de meio século e detecta cerca de 70% das úlceras do estômago e 80% das duodenais. O diagnóstico de úlcera do estômago pelo Rx obriga a fazer endoscopia para a biopsar. QUAIS AS COMPLICAÇÕES DA ÚLCERA? hemorragia perfuração obstrução do piloro

TRATAMENTO MÉDICO

No tratamento da úlcera do estômago e do duodeno além da erradicação do Helicobacter pylori poderão eventualmente utilizam-se os seguintes medicamentos: IBP: omeprazol, pantoprazol, lanzoprazol, rabeprazol e esomeprazol H2RA: cimetidina, ranitidina, famotidina anti-ácidos: há mais de uma centena protectores gástricos: sucralfato análogos das prostaglandinas: misoprostol A erradicação do Helicobacter pylori, que hoje constitui a base do tratamento, e que na maior parte dos casos “cura” da úlcera, faz-se com a terapêutica tripla: anti-secretor + antibiótico + antibiótico durante 1 ou 2 semanas. Na úlcera do estômago deve fazer-se nova endoscopia e eventualmente nova biopsia 4 a 6 semanas depois do diagnóstico para confirmar a benignidade da úlcera. Na úlcera do duodeno esse controle é inútil. TRATAMENTO CIRÚRGICO E ENDOSCÓPICO Até ao aparecimento dos antisecretores e descoberta do Helicobacter pylori o tratamento cirúrgico da úlcera era frequente. Hoje é uma raridade. A cirurgia apenas se utiliza nas úlceras perfuradas. A maior parte das hemorragias resolvem-se endoscopicamente assim como as estenoses. Ver “estômago operado

SÍNDROME DE ZOLLINGER-ELLISON

Em 1955, Robert Zollinger e Edwin Ellison, dois americanos da universidade de Ohio descreveram 2 casos com úlceras do jejuno associadas a um tumor do pâncreas. Estes raros tumores produtores de gastrina (gastrinomas) localizam-se sobretudo no duodeno e no pâncreas. São tumores neuroendócrinos de baixa malignidade. A gastrina que produzem é uma hormona que estimula as células parietais do estômago a produzir grande quantidade de ácido cloridrico e, em consequência, aparecem úlceras no duodeno e jejuno.
Helicobacter pylori
Úlcera do duodeno
O Rx foi até ao aparecimento da endoscopia a técnica usada para diagnosticar as úlceras Imagiologia Básica - João Pisco
Úlcera do estômago com vaso visível Imagem de GASTROLAB
Úlcera do estômago
A cicatriz da úlcera, 2 meses depois do tratamento
Úlcera do estômago com coágulo
Após lavagem do coágulo aplicaram-se 2 clips. Não houve nova hemorragia De: David M. Martin, M.D.

ESTÔMAGO

Submucosa
A úlcera é uma perda de substância como mostra esta figura esquemática
Mucosa
Muscular
ÚLCERA