O esófago é um tubo muscular que vai da faringe até ao estômago. Começa a cerca de 15 cm dos dentes incisivos e termina a cerca de 38-40 cm. A sua principal função é transportar os alimentos até ao estômago. Pode ser substituído por outro tubo que faça a mesma função.

COMO FUNCIONA O ESÓFAGO?

Quando os alimentos são movimentados para a faringe pela língua, o EES - esfíncter esofágico superior - relaxa-se e permite que entrem no esófago. Uma onda peristáltica iniciada na faringe percorre todo o esófago. O EEI - esfíncter esofágico inferior - relaxa-se para dar passagem aos alimentos para dentro do estômago. A progressão da onda peristáltica através do esófago pode ser observada e registada se colocarmos sondas no esófago. Este registo da manometria do esófago pode ser útil no diagnóstico de algumas doenças do esófago que alteram a motilidade. Outra função do esófago é impedir o refluxo dos alimentos. Como a pressão dentro do estômago é superior à pressão dentro do esófago são necessários mecanismos que impeçam, que o conteúdo do estômago (alimentos, ácido clorídrico, pepsina, bílis etc.), reflua para o esófago. Essa prevenção do refluxo do conteúdo do estômago para o esófago depende da: o Pressão do EEI - esfíncter esofágico inferior o Força da gravidade o Da posição oblíqua da junção gastro-esofágica o Do esvaziamento rápido do estômago A saliva desempenha um papel importante em desembaraçar o esófago do ácido que possa refluir do estômago.

QUAIS AS DOENÇAS DO ESÓFAGO?

Os mecanismos que impedem o refluxo do conteúdo estômago para o esófago falham com facilidade, e essa falência dá origem, à doença mais frequente do esófago: a Doença do Refluxo Gastro-Esofágico (DRGE). A DRGE é das doenças mais frequentes do Aparelho Digestivo, e com frequência é causa de má qualidade de vida mas, raramente, tem complicações com gravidade: a Estenose Péptica e o Esófago de Barrett. Outras alterações do esófago, também frequentes, são geralmente anódinas, isto é, não tem significado clínico importante, não exigindo geralmente, nenhum tratamento: Divertículos, Anéis, Membranas, Hérnia do hiato. As Esofagites, Infecciosas ou não, com excepção da esofagite péptica são situações pouco frequentes. Das alterações da motilidade, os Espasmos Difusos do Esófago, a Acalásia e o Esófago em Quebra-nozes são as doenças mais frequentes. O Cancro do Esófago é, felizmente, pouco frequente.

COMO SE INVESTIGA O ESÓFAGO?

A endoscopia e a radiologia são os meios de diagnóstico mais utilizados no estudo do esófago. A pHmetria e a

manometria podem ajudar a esclarecer alguns situações mas são pouco necessárias.

A eco-endoscopia e a TAC - tomografia axial computorizada - podem ser úteis para avaliar a extensão de alguns tumores. A biopsia e a citologia são de capital importância para o diagnóstico de algumas lesões do esófago.

Esófago

APARELHO DIGESTIVO