O Intestino divide-se anatómica e funcionalmente em duas partes: Intestino Delgado e Intestino Grosso ou Cólon e Recto. Neste local vamos descrever a Anatomia e Fisiologia do Intestino Delgado.
O comprimento do Intestino Delgado varia entre 3 e 7 metros e, divide-se em três partes: o duodeno, o jejuno e o íleo. O duodeno tem cerca de 25 cm (12 dedos de comprimento por isso se chama duodeno). O jejuno mede cerca de 2,5 m e o íleo cerca de 3,5 m. Não há uma separação clara ente o jejuno e o íleo
A Intestino Delgado aumenta a sua superfície enormemente para conseguir absorver os líquidos e nutrientes: 1. As pregas circulares 2. As vilosidades que são extensões da mucosa 3. As microvilosidades que são projecções da membrana plasmática de cada célula epitelial. Como facilmente se compreende, esta estrutura, aumenta enormemente a superfície de absorção do Intestino Delgado. Na superfície o delgado tem células produtoras de muco, células da absorção e células produtoras de hormonas

QUAIS AS FUNÇÕES DO INTESTINO DELGADO?

O Intestino delgado é o órgão mais importante do tubo digestivo. Podemos viver sem esófago, sem estômago,

sem cólon mas não podemos viver sem intestino delgado.

No intestino delgado continua-se a digestão dos alimentos, e o quilo desidrata-se passando a quimo mas, o

intestino delgado é por excelência o local da absorção dos nutrientes que nos fornecem as calorias de que

necessitamos para viver. É também o órgão endócrino maior do nosso organismo e tem uma importante função

imune que faz barreira aos agentes nocivos (bactérias, toxinas, etc.) que podem tal como os nutrientes passar do

exterior para o interior do corpo humano.

Os hidratos de carbono ou glícidos ou glúcidos são inicialmente digeridos no jejuno, pela amilase salivar e pancreática, mas a digestão completa requer três enzimas ( lactase, maltase e sacarase ) existentes nas células da mucosa do intestino. Estas enzimas desdobram os dissacáridos em monossacáridos porque só nesta forma podem ser absorvidos. A nossa mucosa intestinal não absorve dissacáridos, por isso, utilizamos a lactulose, como laxante osmótico, no tratamento da prisão de ventre. Alguns hidratos de carbono mais complexos, que constituem a fibra da nossa dieta são mal digeridos no Intestino Delgado e atingem o Cólon onde são fermentados pelas bactérias dando origem à formação de gazes. A digestão das gorduras, dos ácidos núcleicos e das proteínas que se iniciou com a lipase e com a pepsina do estômago continua no lume do Intestino Delgado com as enzimas produzidas no Pâncreas (lipase, fosfolipase, tripsina, quimotripsina, carboxipeptidase, DNase e RNase). A digestão das gorduras requer a sua emulsão, transformação em pequenas gotas, sobre as quais actuam as enzimas, levando à formação de ácidos gordos, vitaminas lipossolúveis, colesterol que os sais biliares transformam em micelas que são absorvidas pelo Intestino Delgado. No íleo completa-se a absorção e os 100 cm distais do Intestino Delgado, têm a particularidade, de permitir a absorção dos sais biliares e da Vitamina B12.

QUAIS AS DOENÇAS DO INTESTINO DELGADO?

As doenças mais frequentes do Intestino Delgado são as Enterites provocadas por vírus, por bactérias e por toxinas que causam diarreia aguda, por vezes associadas a uma gastrite aguda dando origem à Gastroenterite. A Enterite e a Gastroenterite são, no adulto saudável, doenças auto-limitadas, evoluem para a cura em 5 ou 6 dias, sem necessidade de medicamentos. Na maior parte dos casos não é solicitada nem necessária a ajuda do médico. No terceiro mundo estas diarreias agudas são responsáveis pela morte de milhares de crianças e idosos todos os anos. A perda de água leva à desidratação grave. A Deficiência de Lactase é outra afecção frequente do Intestino Delgado e, é uma doença sem gravidade e fácil de corrigir. A Doença Celíaca é causa de má absorção global e ocorre com relativa prevalência. No Algarve poderão existir entre 150 a 300 pessoas com esta afecção mas, em muitos casos, a doença é muito ligeira e passa desconhecida. A Doença de Crohn atinge, na maior parte dos casos o Intestino Delgado mas, pode localizar-se em qualquer outra parte do Tubo Digestivo desde a boca até ao ânus. É uma doença, cujo número de casos tem aumentado nos últimos anos. Os Divertículos - incluindo o Divertículo de Meckel - aparecem com alguma frequência no Intestino Delgado, mas quase sempre são assintomáticos e não requerem tratamento. As hérnias, sobretudo as inguinais, mas também as femorais e umbilicais requerem quase sempre tratamento cirúrgico. Dos parasitas intestinais ( Lombrigas, Oxiuros, Ténia, Giardia etc. ), apenas os Oxiuros e a Giardia são frequentes no Algarve, muito raramente se encontra a Ténia. A lombrigas (Ascaris Lumbricoides) não existem no Algarve, o que facilmente se compreende pelo clima mas, no Algarve, chamam lombrigas aos oxiuros. Quando os algarvios dizem que têm lombrigas querem dizer que têm oxiuros. Os Tumores do Intestino Delgado, quer benignos quer malignos (cancros) são pouco frequentes. Quer o adenocarcinoma, quer o linfoma, são tumores raros, que representam, menos de 3% de todos os tumores do Aparelho Digestivo. O número de cancros do Intestino Delgado diagnosticados no Algarve é, inferior a 5 por ano.

COMO SE ESTUDAM AS DOENÇAS DO INTESTINO DELGADO?

O Rx do Intestino Delgado (ingere-se papa baritada que torna o Intestino Delgado opaco ao Rx) tem sido o principal meio de diagnóstico de que nos servimos para visualizar o Intestino Delgado. A endoscopia tem até ao presente, tido limitações intransponíveis devido à estrutura e comprimento do Intestino Delgado. Apenas a porção inicial do duodeno e a porção terminal do íleo são observadas com facilidade, a primeira na endoscopia alta e a segunda na colonoscopia. Recentemente (Junho-Julho de 2001) foi introduzida na Europa, e em Portugal, uma endocâmara, (imagem ao lado) com 11 mm por 22 mm que depois da deglutida permite a observação do Intestino Delgado. A utilização desta pequena cápsula é recomendada no estudo das hemorragias digestivas de causa obscura. Apesar de uso limitado a endocâmara é um progresso na visualização do Intestino Delgado
Vilosidades
Microvilosidades
Como funciona o intestino delgado?
INTESTINO DELGADO
Boca ingestão dos alimentos, mastigação inicio da digestão, deglutição Faringe e esófago propulsão Estômago trituração mecânica, digestão, absorção Intestino delgado trituração mecânica, digestão, absorção Intestino grosso absorção. propulsão, defecação
PRINCIPAIS FUNÇÕES DO TUBO DIGESTIVO